quarta-feira, 19 de julho de 2017

SINTO MUITO AMOR POR VOCÊ


       Sinto muito amor,sinto peito que chora,sem derramar lagrima alguma.Sinto te beijar por amor sem tocar sua boca;sinto um sofrimento  sem sofrer ,sinto o sol  que na minha pele se apaga sem escurecer o dia.Sinto a garota dos meus olhos me deixar sem partir ;sinto a noite tão bela, nova tão velha. Sinto a chama do desejo que vem e me tira e me devolve a você. Me-sinto jantar a luz de vela,sinto-me ficar  sozinho na presença, e na ausência ou na esperança  de quem eu amo;sinto-me estar a ver a luz de vela. Sinto-me a noite que estou na lanterna,mas no topo da tabela do campeonato  do amor; sinto-me derramar o dia.como se fosse um vidro de perfume fino francês sobre o corpo da mulher amada.Sinto ,como se derretesse-nos o sol embaixo de um guarda sol; sinto febre sem você, e mesmo assim estou feliz por você existir, mesmo ao lado de outro alguém. Sinto-me pagar para ver, apagar a luz da lua, num luar se a minha mulher não está  mais comigo; sinto que a sua vida está ao lado da minha,e sinto-me voar alto e voltar para o ninho ,sinto em você a personificação  da própria meia noite. Sinto te ver e não ver, sinto tristeza e alegria,sinto prazer,revolta e rancor, sinto os olhos cheios d`água famintos para te provar; sinto ser,ou não ser,eu mesmo, sinto estar e não estar ao lado de quem eu amo. Sinto comer e ao mesmo tempo jejuar,sinto preferir chegar a um censo comum; sinto viver e não dar mais para viver sem você, sinto tanto tempo longe de você; sinto a precisão de ter noticias de você, sinto saber e não ensinar  sinto querer saber como esta está você. Sinto sofrer e suportar a dor, porque sei que é amor sinto que a solidão se apossou dos nossos dias e que tentam se recompor, sinto a chegada e a partida da luz, da lua e da noite. Sinto-me sorrir quando quero que você veja, sinto-me assim ,como quem diz adeus a nossa própria solidão;sinto saber e reprovar a solidão, se em pessoa eu a visse, sinto te ver e não te enxergar, e o amor ir e vir para gente, sinto a nossa historia com e sem despedida.Sinto a necessidade de pedir ao relógio que demorasse alguns segundos a mais para não te ver dizer adeus e nunca ser a hora de partir; sinto estar e me ausentar sem te ter,sinto estar com ou sem chão,sem hora agora, sinto-me sorrir e o peito chorar sem derramar lagrimas alguma, parece cliche, quer queiramos ou não precisamos que nos amemos. Sinto-me falar que não minto e fingir que não sinto, muito amor por você.                

Um comentário:

Ocorreu um erro neste gadget