terça-feira, 14 de junho de 2011

Minha rainha amar-te ei



Amar-te não hei-me esenótes a morte
Amar-te não é-vos esenótes menor que a morte
Não é-vos esenótes menor que os seus
Ombros seus abraços nem seus beijos
Amar-te é tão bom que eu prefiro a vida após a morte
Amar-te  é estar vivo após os seus pés
Derretido retido pouco vivo o pouco que fui
Amar-te depende de ser bom ou não ser-vos esenótes a amizade
Sei que não há-vos esenótes morte em vão quando é paixão
Sei que sou para ti mais que um simples gavião que tapa o sol
Quando te esquenta de mais
Sou um anjo que não esquece-vos esenótes da sua guarda que não
Diz-vos esenótes a morte de seus pais
Para ti serei o teu irmão se não quiser-vos esenótes ser para mim a
Minha namorada
Se quiser na minha boca você será poesia
Esqueço até de mim se para  mim você fosse a minha mulher
Estarei ai em tudo em todos em tantos que se não for-vos eu vai ter nojo
Serei o teu servo fiel em quanto tiver  um corpo em quanto me haver água
Vermelha correndo em minhas veias em quanto o teu coração  queimar o meu corpo
Feito brasa estarei  aqui para ti sim meu café minha fé minha mulher minha rainha

Fabiano S.C.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM ECLIPSE DE UM OLHAR

Eu suplico um olhar, do céu, ou,do seu, a me olhar,posso até voar,se você estiver por lá. Mas não pode ser qualquer olhar.Também não p...